Seja inadequado, porque não se adequar a uma sociedade doente é uma virtude

setembro 22, 2018 Off Por O Martelo de Nietzsche

O título desta matéria tem como fonte original a ideia de Jiddu Krishnamurti (1895-1986) filósofo, escritor e educador indiano. Passou sua vida meditando e buscando uma sociedade moderna e sem violência.

Aprendemos no filme Matrix, que as pessoas estão tão comprometidas com esse mundo que apresentaram para elas, que são incapazes de pensarem em alternativas contrárias aos critérios impostos pelo poder, em uma linguagem popular: “incapazes de pensar fora da caixa.

De acordo com Chomsky, conforme falamos recentemente neste post aqui,  a mídia manipuladora usa de estratégias de dominação em massa, isto é, por meio do entretenimento vazio, com o objetivo de aumentar nossa sensibilidade social, fazendo com que nos acostumemos a ver a ignorância, vulgaridade e a estupidez como as coisas mais normais do mundo, incapacitando-nos para alcançarmos uma consciência crítica da realidade.

Você se adaptou a uma sociedade doente? 

No entretenimento vazio que nós estamos acostumados a ver por aí, nesses programais de deseducação, o comportamento desagradável e desrespeitoso é visto como uma coisa engraçada, legal, sobretudo, positiva. Nós podemos ver isso constantemente na televisão, nos programas lixos chamados “ De casa”, e nos encontros de espetáculos em que os gritos e a falta de respeito são a norma, o futebol,  por exemplo, a forma mais completa e eficiente que o sistema estabeleceu para converter a massa, em uma sociedade totalmente doente.

É interesse dos poderosos estabelecer um sistema baseado nos valores do individualismo possessivo, no qual a solidariedade e o apoio mútuo são considerados ingênuos e por vezes desnecessários.

Na mídia doente, vazio ( entenda essa palavra no sentido de desagregador) tudo é projetado para que o indivíduo suporte estoicamente o sistema estabelecido sem questionar.

Dessa forma, fica implícito que entender verdades históricas sobre o nosso próprio país não é interessante. O futuro também pouco importa, não existe! Apenas o presente e a satisfação imediata que o entretenimento vazio procura. Por isso, caros leitores, não se espante que  se proliferem os livros de autoajuda, essa inutilidade  psicológica, o misticismo à Cury, ou variantes infinitas do clássico “como se tornar um milionário sem esforço” e o tão famoso: “o segredo”.

Nós, da página o Martelo, queremos reverter esta situação de alienação a que estamos sujeitos, nos resta lutar, mas isso não acontece da noite para o dia. Qualquer revolução começa de forma tímida, com pequenas doses de sabedoria diária. Nossa intenção é fazer com que você seja um sujeito crítico. Ou que pelo menos inicie o processo de questionamento, mas busque fontes, não aceite nada imposto, não confie na mídia manipuladora, não importa qual emissora ou site oficial de comunicação do governe. Lembre-se a intenção dos poderosos é que você permaneça na ignorância e que sirva de massa de manobra.

Por: Redação O Martelo de Nietzsche.