O uso da maconha para alcançar estágios mais elevados de consciência.

novembro 25, 2017 Off Por O Martelo de Nietzsche

“A ilegalidade da cannabis é ultrajante, um impedimento para a plena utilização de uma droga que ajuda a produzir a serenidade e insight, sensibilidade e companheirismo, tão desesperadamente necessários neste mundo cada vez mais louco e perigoso”. – Carl Sagan. 

Constantemente as pessoas me perguntam sobre o que eu penso sobre os efeitos da maconha, em relação à alteração da nossa percepção, do aumento da criatividade, do imaginário humano, em suma, dos benefícios que ela causa em nossa mente.Normalmente essas perguntas ocorrem no ambiente escolar onde trabalho, pelo simples fato de eu usar no dia a dia, roupas características de quem usa maconha.  A maioria dos meus alunos recebe com muito ceticismo quando eu respondo que não sou usuário de drogas ilícitas.

“duvido que você não use maconha!”, “você tem cara de maconheiro professor!”, “confessa que você gosta de  um vibe diferente ”… Enfim, são muitas as objeções em relação a minha afirmação.

No ambiente acadêmico, isto é, entre professores e amigos de pesquisa cientifica, sou “acusado” de usar maconha para elevar o meu “espírito” para um estágio superior de criatividade. Dizem que eu tenho muita criatividade, e isso só poderia ser pelo efeito da “maconha pura”.  Para eles, em tese, a mente humana, na sua crueza é bruta. Os efeitos da maconha iriam potencializar nossa capacidade psíquica. Será mesmo?

Para essas objeções eu respondo da seguinte maneira: quando eu quero “dá uma viajada legal”, leio Hegel, Platão e Heidegger. Quando eu quero enxergar a vida com mais “nietzschedez” eu leio Espinoza, Schopenhauer e Nitzsche.

Por que não legalizar o que está liberado?

São vários os motivos, porém, não quero me aprofundar na questão da legalização da maconha. Nem tão pouco sobre a descriminalização.

Visto que a sociedade é hipócrita e consome diversas drogas legalizadas que comprovadamente causam um dano terrível a saúde mental das pessoas. Eu firmo na posição de não ser contra ao uso da maconha para nenhum tipo de pessoa, de criança a adulto.

Não faço apologia, não vou a marcha da maconha, não grito a quatro cantos querendo defender. Em uma situação hipotética de legalização das drogas ilícitas, certamente eu iria ser a favor. É burro, ser contra a legalização de algo que já está liberado em todos os lugares do país.

Essa discussão de drogas ilícitas, do pode e não pode, trata-se apenas de briga política. Procuro ficar  distante.

Eu costumo dizer que por natureza, sou um cara que viaja pra caralho! Exceto a redução do estresse, e da possibilidade de criação imagética, usar maconha me deixou lesado, rindo à toa, vendo duendes, objetos se movendo do nada etc… Conheço pessoas que adoram sentir tudo isso. Eu não gostei. Só é uma questão de gosto, não há em mim julgamento moral.

Não consigo fazer a afirmação de que a maconha eleva os seus pensamentos ao sublime, ao metafísico, ao mundo das ideias perfeitas. No entanto, eu sei que ela aumenta a nossa criatividade de maneira significativa. Muitos dos grandes artistas do passado e da atualidade foram e são usuários de maconha.  Acho louvável quem encontra um refúgio no maconha.

Algumas frases de figuras públicas que podem fazer você refletir sobre o uso e da descriminalização da maconha:

Boby Marley, o grande defensor e propagador do uso da maconha certa vez disse:

quando você usa a erva ela revela você mesmo

Já o ex-presidente Barack Obama:  “Eu acho que vamos ter que ter uma conversa mais séria sobre como estamos tratando a maconha e nossas leis de drogas em geral “

Terence McKenna, escritor e filósofo apaixonado pelas buscas ritualisticas.

“Se as palavras “vida, liberdade e busca da felicidade” não incluem o direito de experimentar a sua própria consciência, então a Declaração de Independência não vale a pena o cânhamo em que foi escrito”.

William Hugh Nelson, mais conhecido como Willie Nelson, é um cantor e compositor de música country

“O maior assassino do planeta é o estresse e ainda acho que o melhor medicamento é e sempre foi cannabis”.

E aí galera?

A erva ajuda a revelar o que nós somos? Seria esse estágio de elevação de espírito o nosso eu escondido?

O que vocês pensam?

Por: O Martelo de Nietzsche